quinta-feira, 28 de maio de 2015

“Desviados do caminho e desviados da verdade?”



Desviai-vos do caminho, apartai-vos da vereda; fazei que deixe de estar o Senhor de Israel perante nós. (Is-30:11)

Texto do profeta Isaías retratando mais um ato de rebeldia do povo de Israel, persistindo em buscar ajuda do faraó do Egito, para se defenderem dos inimigos Assírios, desprezando assim, a palavra do Senhor e todos os seus conselhos. (Vs-1-17).
O povo de Israel sempre foi obstinado por viver no erro e andar por caminhos duvidosos; mesmo conhecendo o melhor caminho, sempre tendiam para o atalho, para o precipício da dúvida. “O homem que anda desviado do caminho do entendimento, na congregação dos mortos repousará”. (Pv-21:16)

Mesmo assim; vemos o grande amor do Senhor Deus pelo seu povo; descrito detalhadamente, em cada ato de bondade e de misericórdia, em perdoa-los, abençoa-los e protegê-los de todos os seus inimigos; propondo-lhes conduzi-los por um caminho seguro, cheio de benção e da proteção Divina.  Porém, com uma condição: Que eles não desviassem do caminho.  E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. (V-21). O Senhor queria ensina-los o caminho, como se ensina a uma criança que ainda não sabe andar. (Pv-22:6 – Instrui ao menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele).

Mas, quando lemos os versículos, 8 -11, ficamos pasmos em saber o que este povo verdadeiramente desejava; por certo não era o amor de Deus nem muito menos a verdade (Palavra); mas, sim, as mentiras, as profetadas e os supostos milagres, que só servem para promover espetáculos e divulgar o ministério dos falsos profetas que já existia na quela época.

Vai, pois agora, escreve isto numa tábua perante eles, e aponta-o num livro; para que fique escrito para o tempo por vir, para sempre e perpetuamente.
Porque povo rebelde é este, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do Senhor.
 “Que dizem aos videntes: Não vejais; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e tende para nós enganadoras lisonjas”. (Is-30:8-11)

Olhando para hoje, fico pasmado e espantado; é, como se nada tivesse mudado; diante das barbáries que ocorrem no meio evangélico dos nossos dias. Onde a proclamação do evangelho e a doutrina foi substituídas pela sessão dos milagres e prodígios.
Foi nesse sentido que o profeta Oseias também fez a sua lamentação:
Como eles se multiplicaram, assim contra mim pecaram; eu mudarei a sua honra em vergonha.
Alimentam-se do pecado do meu povo, a da maldade dele têm desejo ardente.
Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote; e visitarei sobre ele os seus caminhos, e lhe darei a recompensa das suas obras.
Comerão, mas não se fartarão; entregar-se-ão à luxúria, mas não se multiplicarão; porque deixaram de olhar para o Senhor. (Os-4:7-10)

Outro texto impressionante é o do profeta Jeremias, onde o assunto é o mesmo: Desvio do caminho e da verdade”. O desvio da verdade, sempre foi, e, sempre será a perdição do povo de Deus; ontem, hoje e eternamente.
“Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles dizem: Não andaremos”.(Jr-6:21)

Observando estes textos dos profetas Isaías, Jeremias e Oseias; comparando-os com os “Rumos” que tem tomado os evangélicos nestes tempos chamados hoje. Resta-nos um pergunta: Não estaria a maioria das denominações que se dizem cristãs evangélicas, vivenciando a experiência dos tempos deles; e seguindo por caminhos que não conduzem a verdade, pelo menos no que consiste a salvação e a vida eterna em Cristo Jesus?

Será que os evangélicos em sua maioria, não mais estão ou nunca estiveram no Caminho da verdade em busca da salvação e da vida eterna? Mas, já desviaram do caminho “Desviai-vos do caminho, apartai-vos da vereda” só buscando um caminho que lhes proporcionem satisfazerem os seus anseios terrenos; crendo em falsos profetas com promessas fabulosas de resolver todos e quaisquer problemas de suas vidas.

Citando um forte apelo de um jornal de certa igreja evangélica: “Jesus a solução para todos os problemas”. Só que a proposta destas denominações, é  incentivar  o homem que certamente está em desespero de vida, a buscar em suas igrejas uma  “suposta  solução” para seus anseios terrenos, e não solução para os seus pecado e salvação para suas almas em Cristo Jesus.
Por certo que o Senhor Jesus Cristo é a solução para todos os problemas da humanidade, porém, não segundo os propósitos das campanhas dos falsos profetas de plantão. Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. (1Co-15:19)

“O Jesus pregado nestas igrejas”, não condiz com o Cristo morto e Ressurreto, o justificador dos pecadores arrependidos e convertidos, o doador da vida eterna. Não, não, o nosso Cristo não tem nenhuma correlação com estes tais milagres denominados “Show da Fé” e outras heresias mais. Visto que, pra fazer milagres de curas, obter prosperidade e outros sinais, não se faz necessário usar a palavra de Deus e o nome de Jesus; pois muitas crenças em todo mundo, fazem seus milagres e nem mesmo  conhecem Jesus, e  muito menos creem na Bíblia como palavra de Deus. “Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos”. ((Mt-24:4,5)

Creio que, o que está acontecendo no meio evangélico, é o que o apóstolo Pedro relata em sua segunda carta.
E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. (2Pe-1-3)

Deus não está dormindo, o dia do juízo está próximo!!!

Eles anunciam em suas campanhas, entre outras coisas, possuírem a unção e o poder para operar milagres e prodígios em nome de Jesus. Dizem possuir o dom da prosperidade outros o dom da cura e da libertação. E, para enfatizar os seus feitos e se fazerem mais notórios nos seus intentos, eles diz trazer águas das fontes de Israel, donde os registros bíblicos descreve a operação de algum milagre feito pelo Senhor Jesus. 

Outros usam indumentária dos sacerdotes judaicos, e alguns mais ousados diz possuir a unção até de quem possivelmente nunca a possuiu. “A unção de Manasses”. Só não sei de qual deles, se seria Manasses o filho primogênito de José, o qual Jacó ao abençoa-los, não o reconheceu como primogênito, mas sim o seu irmão Efraim. (Gn-48:11-20) “Ou, se seria na pior das hipóteses, a unção do rei Manasses o “macumbeiro de Judá”, se assim for, então a unção é forte mesmo”???

Analisando tudo isso, e comparando-os com as propostas do “Caminho” do cristianismo e de outros credos “ativista” na causa da humanidade; sejam nas questões espirituais ou nas questões sociais; fico pensando: Este evangelho “transgênico” salvará os seus pregadores, e os seus ouvintes? Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. (2Tm-3:13)

Vejo que a igreja do Senhor está vivendo em tempos trabalhosos, como previu o apóstolo Paulo.
Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
E desviarão os ouvidos da verdade voltando às fábulas. (2Tm-4:3,4)
Não sei para onde este povo irá, sê se salvarão ou não. O que sei e posso confirmar biblicamente é que o evangelho que salva, cura e liberta, não procedem de campanhas miraculosas, sessões de descarrego ou proposta de prosperidade. Se milagres salvasse  a multidão citada no evangelho de João (Jo- 6:1-30), entre outras, teriam se salvado.

Observem este diálogo entre Jesus e seus discípulos; e tire as suas conclusões.
Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.

Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?
O povo evangélico da maioria das igrejas tem o perfil de Tomé o discípulo descrente; não por falta de fé, pois este povo tem fé até demais, acredita em qualquer um e em qualquer coisa, até em casa pegando fogo (irônico).

Creio que o povo evangélico, que ao invés de buscarem a Cristo para salvação, buscam os milagres operados em nome de Cristo; estão como Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho. “Lamentável evangelho da perdição”........ 

 Disse-lhe Jesus: Eu sou o Caminho, e a verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim. (João-14:6)

Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 28/05/2015

sexta-feira, 13 de março de 2015

“As duas faces de uma mesma Sociedade”



Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra: Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza: mantém-me do pão da minha porção acostumada. Para que porventura de farto te não negue, e diga: Quem é o Senhor? Ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e lance mão do nome de Deus. (Pv-31:7-9)

Navegando na net; deparei-me com um site, com um tema sobre uma moeda de “duas faces”. Não sei exatamente o que o autor queria transmitir em sua narrativa. Pois, apesar de falar de uma moeda, não se referia a questões financeiras, ou da moeda, propriamente dita. Talvez estivesse falando de “pessoas”; representando-as através de uma moeda de dupla face “Double face”. Porém, ele não estava se referindo ao caráter das pessoas. Creio que a intenção do autor era descrever, “figurar” com a moeda de duas faces, as dificuldades que enfrentamos para driblar as circunstâncias impostas pelos revez desta vida.  http://www.pracadarepublicaembeja.net/2009/06/

 O titulo desta postagem, me chamou á atenção.  Me despertou, e me veio em mente um tema. “As duas faces de uma mesma Sociedade”. Resolvi postar algo. Porém, não abordando o mesmo assunto do autor. Meu tema, não será sobre relacionamento intimo ou pessoal. Mas, sobre, “Desigualdade”. Visto que as desigualdades tem sido um dos maiores entraves no relacionamento do ser  humano.

As desigualdades são inúmeras: Podemos citar algumas como exemplos:

Desigualdade Racial - Desigualdade CulturalDesigualdade Religiosa. Toda e qualquer desigualdade entre os seres, são desumanas e terríveis. Todas trazem sofrimento, muitas das vezes irreparáveis.  Porém, a que mais traz consequências, é a “desigualdade Social”. Visto que nesta desigualdade, os seres se tornam perversos, e malignos. Vou citar aqui, um trecho de outra postagem, esta falando sobre a desigualdade social.  Onde o autor descreve em detalhes a terrível situação em que vivem os desfavorecidos nesta terra.

Contradições da Sociedade Brasileira e a Construção da Ordem Social:
A todos aqueles que neste momento habitam um ventre e que nascerão na miséria, morarão nas ruas, terão como teto o tempo, sentirão frio, acostumar-se-ão com o medo, comerão lixo, cheirarão cola, conhecerão o sexo na infância, procriarão na puberdade e, analfabetos, morrerão antes de atingirem a idade adulta. Sua vida já é conhecida, antes de nascerem, filhos órfãos que são da cidade grande. Muitos dos que sobreviverem, seu caminho também não é mistério, pois as portas da prisão os aguardam. http://pt.slideshare.net/professorcarlosaguiar/contradies-da-sociedade-brasileira-e-a-construo-da-ordem-social-4784552


A desigualdade social é terrível e desumana. Principalmente, quando ela é praticada em uma pessoa, estando esta fora do reino de Deus. Uma pessoa fora do reino de Deus, já é injusta por natureza. Fazendo injustiça, e sofrendo injustiça.  Porém, os filhos do reino de Deus; são instruídos a viver na fartura ou passar necessidade. (Fl-4:10-13). No reino de Deus, a desigualdade social, ainda é permitida por Deus, com um proposito de conhecer  o caráter dos seus servos. Através dela, Ele conhece o comportamento de cada um de nós. Se somos justos ou injusto, diante da desigualdade em que a vida nós impôs. Não só, os pobres desfavorecidos; mas, igualmente os ricos bem favorecidos. Segundo a palavra de Deus “A Bíblia”. Todos serão igualmente julgados. Não pelas riquezas ou pela pobreza; mas sim, como se comportam diante dela.

Quero apresentar um texto bíblico muito interessante, para embasar o meu texto. “Visto que ele trata de uma forma clara, o grande mal que sofremos diante das desigualdades Sociais”.

Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra: Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza: mantém-me do pão da minha porção acostumada. Para que porventura de farto te não negue, e diga: Quem é o Senhor? Ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e lance mão do nome de Deus. (Pv-31:7-9)

Poderia citar muitos outros textos, pois a bíblia é rica em detalhes, sobre as questões de pobreza e riquezas. Principalmente as riquezas; ou o apego a elas, e o quanto elas são nocivas para a vida do ser humano.

Porém este texto de Provérbio enfatiza não só a riqueza, mas também a pobreza. E, o mal que elas podem trazer para humanidade. A riqueza excessiva, o acumulo de bens; torna o homem desumano e “iníquo”, sem temor de Deus. Para que porventura de farto te não negue, e diga: Quem é o Senhor? E, a pobreza extrema, torna o homem sem alternativa para sua sobrevivência. “Ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e lance mão do nome de Deus”.

O Senhor Jesus em seu sermão do monte, deixa uma palavra de esperança para os cristãos pobres e dependentes de Deus. 
E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.
Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos. Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir. (Lc-6:20,21) 

E, advertiu os ricos. Os que se apegam as suas riquezas, colocando nelas a sua confiança, como se não dependesse de Deus.

Mas ai de vós, ricos! Porque já tendes a vossa consolação.
Ai de vós, os que estais fartos, porque tereis fome. Ai de vós, os que agora rides, porque vos lamentareis e chorareis. (Lc-6:24,25). 



Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 13/03/2015

terça-feira, 10 de março de 2015

Não sejas “SÁBIO” aos teus próprios olhos



Não sejas sábio aos teus próprios olhos: tema ao Senhor e aparta-te do mal. (Pv-3:7)

Este tema pode até parecer simplório, ou mesmo sem nenhuma relevância. Porém, ele é um protesto contra alguns blogueiros que se acham muito “SÁBIO”, ao ponto de não mais compartilharem suas ideias “SABEDORIA”, aos demais, “tolos mortais”. Visto, que em muitos blogs já não se encontra mais disponíveis o link que permitem ou permitiam, aos demais partilharem suas opiniões sobre o tema da postagem.

O que me fez escrever este breve protesto, foi o fato de me deparar com um grande numero de Blogs e Sites Evangélicos, postando assuntos temáticos, assuntos de grande relevância bíblica, que poderiam contribuir para o conhecimento do povo de Deus. Assuntos que, se discutidos corretamente, certamente iriam contribuir muito para o crescimento da fé, do nosso tão ludibriado povo; fragilizado espiritualmente por um evangelho místico, praticado como se fosse o credo de uma seita popular; sem nenhum compromisso com a verdade.

O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. (Os-4:6)

Este texto do profeta Oseias é bastante pertinente, para compreendermos a responsabilidade que temos diante de Deus. Deus concedeu o dom da sabedoria, do conhecimento e do discernimento a alguns sacerdotes, com o propósito claro: que eles ensinassem ao seu povo a conhecer a verdade. E, não para que eles “sacerdotes”, se tornassem  “sábios aos seus próprios olhos”.  Cumprindo-se o que disse o autor de Provérbios, capitulo -26:12 - Tens visto a um homem que é sábio a seus próprios olhos? Maior esperança há no insensato do que nele.

Porém, muitos destes Blogs e Sites, postam mensagens para si mesmo; em uma atitude egoísta, exibem suas maravilhosas postagens, sem nenhum interesse de compartilhar a sua iluminação com alguém. Visto que tiraram totalmente o link de comentários de suas paginas.

Alguns, alegam que estão se protegendo de discussões. (2Tm-2:14). Isto é bíblico, e, poderia ser aceito como justificativa. Porém, temos visto algo oculto nesta justificativa. Nestas atitudes de se preservarem; na verdade estão encobrindo um certo orgulho maligno da falsa modéstia. Pois o que vemos em muitos deles, é a petulância de se acharem, tão sábios, que não precisam se sujeitarem a opinião dos outros. Visto isto, é que postam as suas mensagens "sabedorias", só para exibi-las aos seus próprios olhos.   

Tende o mesmo sentimento uns para com os outros, em lugar de serdes orgulhosos, condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos. (Rm-12:16).

E assim, por causa do teu saber, perece o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu.
E deste modo, pecando contra os irmãos, golpeando-lhes a consciência fraca, é contra Cristo que pecais. (1Co-8:11,12)

Fico muito triste com este comportamento egoísta de muitos blogueiros que se dizem evangélico. Pois, cremos, que se tratando de site ou blog cristão evangélico; ainda que alguns publiquem suas postagens com o propósito informativo “noticiário e entretenimento”. O que se espera de uma postagem cristã, é que acima de tudo, ela venha transmitir o amor de Deus, manifesto aos homens através de Cristo Jesus. Porém, de uma forma, que todos os visitantes e seguidores, possam se alimentar deste amor. Através do texto escrito pelo autor, possuidor do dom de sabedoria e conhecimento, concedidos pelo Espírito Santo. (1Co-12:8).

Deus nós capacitou com os seus maravilhosos dons, não para nos tornar orgulhosos e sábios aos nossos próprios olhos; mas, sim, pra sermos instrumento de instrução para o seu povo.

Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus.
E o que de minha parte ouviste, através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros. (2Tm-2:1,2).

O Senhor Deus me deu língua de eruditos, para que eu saiba dizer boa palavra ao cansado. Ele me desperta todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que eu ouça como os eruditos. (Is-50:4).     Amém!!!


Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 11/03/2015

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

“Iniquidade, o pecado da humanidade”




“Ai daqueles que nos seus leitos imaginam a iniquidade e maquinam; à luz da alva o praticam, porque o poder está em sua mão! Cobiçam campos, e os arrebatam, e casas, e as tomam; assim fazem violência a um homem e à sua casa, a um pessoa e à sua herança”. (Mq-2:1,2)


O que é iniquidade?

Iniquidade é um substantivo feminino da língua portuguesa e define algo ou alguém que tem um comportamento contrário à moral, à religião, à justiça, à igualdade e etc. A iniquidade é praticada por iníquos, ou seja, quem se opõe à equidade.  A iniquidade está associada ao ato de ser mau injusto e perverso. Uma pessoa iníqua transgride as leis e normas morais e éticas sem qualquer tipo de ressentimento ou escrúpulos. A iniquidade está, normalmente, relacionada com o cinismo e a falta de caráter.  A criminalidade, pecado ou injustiça são algumas das ações de quem pratica a iniquidade. 

Na sociedade, a prática da iniquidade, é fato comum; visto que a sociedade e seu sistema são corruptos por natureza.
A iniquidade social acontece quando as normas e leis destinadas à sociedade, de um modo geral, não estão sendo cumpridas igualitariamente, seguindo os princípios dos Direitos Humanos, da moral e da ética.  O ato de transgredir as leis ou os bons costumes, ato de mau caratismo, ação que desagrade alguém ou a muitas pessoas. 

A iniquidade vem sempre associada ao cinismo, ou seja, é a prática do mau ato sem que a pessoa que o comete assuma ou reconheça aquela ação como ato errado ou cruel. Iniquidade é o reconhecimento de normalidade em uma ação que é descabida e agressiva contra o estado ou contra o próximo. 

No livro dos Salmos, vemos em vários capítulos os salmistas buscando a misericórdia do Senhor Deus, para que perdoasse as suas iniquidades. (Sl-39:8 –Sl-51:9 – Sl-79:8 –Sl-103:3)  Os profetas também profetizaram, sobre a vinda daquele que pode perdoar as nossas iniquidades. (Dn-9:24 –Mq-7:18). Isaías profetizou o sofrimento de Cristo, em sua morte vicária pela humanidade: Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades, e pelas suas pisaduras fomos sarados.Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. (Is-53:5,6).

mesmo assim, o profeta continuava exortando o povo, sobre o perigo da pratica da iniquidade, que certamente iria afasta-los de Deus. Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar, nem o seu ouvido agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça. (Is-59:1,2)

A prática da iniquidade faz com que, o pecado seja visto como algo normal.
Tão normal, que o pecador, não sente mais culpa pelo pecado cometido; de tanto cometê-lo, já acha que, o que fez é absolutamente normal. “Tal é o caminho da mulher adúltera: ela come, e limpa a sua boca, e diz: Não cometi maldade”. (Pv-30:20)

Então veio o Senhor Jesus em seu sermão do monte declarando em alta voz:
Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
E então lhes direi abertamente; Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (Mt-7:21-23)

Poderíamos ficar tranquilos; pois o texto é claro, não estar falando de nós; mas, sim dos falsos profetas; destes que fazem tudo em nome de Cristo, profetizam e fazem muitas maravilhas. Creio que muitos já tiveram a oportunidade de conhece-los ou pelo menos já ouviu falar. Dos tais, que o Senhor Jesus nos alertou: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores”.(Mt-7:15)

É, verdade, este texto foi ministrado em protesto contra os falsos profetas de todos os tempos. Tanto, os do passado, quanto, os da presente era.
Porém, o pecado de iniquidade, não se aplica unicamente aos falsos profetas. Podemos contemplar nos textos bíblicos, quantas vezes este pecado se fez presente na vida do povo de Deus, impedindo o agir de Deus em seu favor. (Jó-4:8 – Sl-39:11 –Sl-56:7 –Sl-90:8 –Jr-31:30).

 Israel, o povo escolhido de Deus, perdeu as suas maiores bençãos, por causa da sua vida de iniquidade. Ouvi, ó céus, e presta ouvidos, tu ó terra, porque fala o Senhor: Criei filhos, e axalçei-os; mas eles prevaricaram contra mim. O boi conhece o seu possuidor, e o jumento, a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende. Ai da nação pecadora, do povo carregado de iniquidade, da semente de malignos, dos filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram do Santo de Israel, voltaram para trás. (Is-1:2-4).

Então, aqui neste texto, pude ver claramente, que este pecado não é exclusividade dos falsos profetas; nem muito menos, do povo ímpio. Mas, sim, de todos os que não amam e não praticam a justiça.

Por falar de injustiça; a iniquidade, é o caráter e a personalidade do anticristo. “O homem do pecado, o filho da perdição; “O iníquo”. E, o seu ministério; segundo o Apostolo Paulo; Já foi implantado.

“Porque já o ministério da injustiça opera: somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado. E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda. A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira. E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade. (2Ts-2:7-12)

Foi nesse sentido é que o Senhor Jesus em seu sermão profético, declarou: E, Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de gurras e de rumores de gurras; olhai não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o principio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-se-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome. Nesse tempo muitos escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. (Mt-24:12).

O amor esfriará, porque está debaixo do poder da iniquidade, em um período de catástrofe e provações; o ser humano, egoísta como sempre foi, só pensará em si mesmo.

Biblicamente: A iniquidade é o desrespeito e negação das leis e mandamentos sagrados de Deus, sendo mencionada diversas vezes no  Velho e no Novo Testamento. (Ex-20:5) A iniquidade pode ser considerada um pecado, mas de uma forma mais agravante. Segundo a Bíblia, o iníquo é o individuo que já está acostumado a pecar, não se importando mais com as consequências, não tendo vergonha, nem temor de cometê-los. Conforme a parábola do juiz iníquo,contada por Jesus e citada em Lucas-18: “E por algum tempo não quis; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens”.(Lc-18:4)


Um texto que me impressionou, e porque não dizer; preocupou-me muito, foi Lucas-13:22-28, onde Lucas descreve um fato ocorrido no ministério profético do Senhor Jesus Cristo:
E percorria as cidades e as aldeias, ensinando, e caminhando para Jerusalém.
E disse-lhe um: Senhor são poucos os que se salvam? E ele lhe respondeu: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão.
Quando o pai de família se levantar e cerrar a porta, e começardes a estar de fora, e a bater à porta, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos; e, respondendo ele, vos disser: Não sei donde vós sois;
Então começareis a dizer: Temos comido e bebido na tua presença, e tu tens ensinado nas nossas ruas.
E ele vos responderá: Digo-vos que não sei donde vós sois; apartai-vos de mim, vós todos os que praticais a iniquidade.
Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, e Isaque, e Jacó, e todos os profetas, no reino de Deus, e vós lançados fora.
E virão do oriente, e do ocidente, e do norte, e do sul, e assentar-se-ão à mesa no reino de Deus. E eis que derradeiros há que serão os primeiros; e primeiros há que serão os derradeiros.

E, a igreja, como tem se comportado no quesito do amor e da  justiça? será que a igreja de hoje, passará pelo teste de Mateus-25:31-46? Será  aprovada ou reprovada? Receberá o louvor de “Sejam bem-vindos ou  a reprovação do apartai-vos de mim, vós os que praticais a iniquidade? 

Dentro deste contexto, muito dos que se dizem crentes em Jesus, não alcançarão a sua salvação. Não por falta de obras ou por ausência delas. Mas, por pratica-las ou não; dentro de um espírito de iniquidade: “Soberba ou falta de amor ao próximo “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas?”

E então lhes direi abertamente; Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.

Disse Davi:  Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, e cujo pecado é coberto. (Sl-32:1)   Amém, Jesus!!!


Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 24/02/2015

sábado, 6 de dezembro de 2014

Chegou o fim do ano, estou satisfeito, graças a Deus!!!






Com a chegada de mais um fim de Ano; surgem naturalmente àquelas indagações no intimo de todo ser humano: O que eu fiz neste ano? Fui feliz? Realizei grandes sonhos e projetos? Ou não?...............

O ser humano vive em uma constante dúvida; cercado de incertezas e frustrações. Horas, motivados pela ganância e avareza, desejando mais do que já possui (1Tm-6:7-10). Horas, por estar vivem em situação de estrema pobreza, devido às injustiças sociais deste mundo – (Pv-30:7-9). "Foi por este motivo que o Senhor Jesus nos alertou: Porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui".(Lc-12:13-21).

Devido a sua natureza pecaminosa, o homem é propenso a seguir os seus próprios caminhos - (Pv-14:12)O homem, não consegue por si mesmo, caminhar os caminhos retos do Senhor; previsto por Deus para que toda humanidade pudesse viver em segurança e em plena felicidade. “Quem é sábio, para que entenda estas coisas? Prudente, para que as saibas? Porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão” (Os-14:9).  Viver neste plano de vida terrena, em comunhão com Senhor em gozo das suas benção e proteção- (Hb-10:19-25).  Após, a passagem terrena, pudesse voltar ao Pai em plena comunhão de espírito com o Senhor, por intermédio do Seu Filho amado Jesus Cristo – (João-14:1-6).

A bíblia é cheia de palavras motivadoras, nos incentivando a confiar no Senhor. O livro de salmos traz em muitos capítulos, estas orientações. O Salmo de numero quarenta traz uma grande mensagem a este respeito: (Salmo-40:1-5) - Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor...................
Em certas horas, o salmista se sentindo mais apreensivo; muda a sua forma de buscar. Não perdendo a fé, e nem a paciência em esperar pelo agir de Deus. Mas, em alguma situação de maior aflição; sugeriu ao Senhor que apresasse em ajuda-lo, pois estava muito necessitado- (Sl-70:1-5).

Seja qual for a nossa situação, devemos sempre e, em tudo, confiar no Senhor - (Sl-37:23-26). Como cristão, aprendi colocar a minha vida nas mãos do Senhor.  Aprendi, a confiar plenamente na provisão divina, como supridor de todas as minhas necessidades - (Mt-6:31-34). Ainda assim,  sempre temos algo de especial para pedir ao Senhor. A realização de um projeto, de um sonho, algo impossível aos nossos recursos, à conquista de uma vitória em alguma área das nossas vidas. Em fim. O homem é um eterno dependente da misericórdia, e do amor do nosso Deus e Pai celestial.

O Apostolo Paulo nos exortou, dizendo: Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos. Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor. Não estejais inquietos por coisa alguma: antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus  - (Fl-4:4-7).

Aproveitando a oportunidade: Minha família e eu, desejamos a todos os Irmãos em Cristo, parentes e amigos leitores desta pagina: Um feliz Natal e um 2015, repleto da Graça e a Paz do nosso Senhor Jesus Cristo..........

Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 06/12/2014


sexta-feira, 20 de junho de 2014

“ Habacuque nos dias de hoje”




“ Habacuque nos dias de hoje”
Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritarei: Violência! E não salvarás?   
Por que me mostras a iniquidade e me fazes ver a opressão? Pois a destruição e a violência estão diante de mim; há contendas, e o litígio se suscita.
Por esta causa, a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta, porque o perverso cerca o justo, a justiça é torcida. (Hc-1:2-4).

Habacuque foi profeta na nação de Judá. Seu livro foi escrito por volta do ano 610 – 605 a.C. Período em que  o pecado grassava em Judá. O povo adorava os ídolos, sacrificava os filhos a deuses pagãos e não levava Deus em conta, e não ouvia os seus profetas. O ímpio rei Jeoaquim não somente se recusou a escutar os profetas de Deus, mas também queimou os escritos deles. (Jr- 36:1-32). Os acontecimentos históricos que culminaram os conflitos dos dias de Habacuque, encontram-se escritos em 2Reis-23:31-37 – 24:1-9 – 2Cr-36:1-8 e em todo livro do profeta Jeremias.

Habacuque vivenciou um período de muita violência e incerteza em sua terra. Um período em que não se podia confiar em mais ninguém; como se pode ver em seu clamor. “Por que razão me fazes ver a iniquidade, e ver a vexação? Porque a destruição e a violência estão diante de mim; há também quem suscite a contenda e o litígio”.  Seu povo havia se desviado, profanando as leis, saindo totalmente da presença do Senhor. 
Existem alguns textos bíblicos que nos levam a crer na possibilidade de podermos questionar “Arguir” o Senhor, como se Ele tivesse que nos dar alguma satisfação de tudo o que Ele faz ou irá fazer.

**Exemplos:
Clama a mim, e reponder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes. (Jr-33:3).
E disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço. Visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra? (Gn-18:17,18).
Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. (Am-3:7).

Questionar, cobrar “Arguir”, talvez não. Mas, podemos confiar plenamente no nosso Deus, Ele é justo e fiel.   O Senhor, jamais deixou ou deixará de comunicar aos seus servos, os profetas, os seus planos de juízo e redenção para o seu povo, e para toda a humanidade. E muito menos, de socorrer aos que clamam por justiça. (Mt-5:6 –Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos).

A maioria dos profetas fala ao povo em nome de Deus.  Habacuque foi um profeta atípico, de modo diverso, fala a Deus a favor do povo.  “Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritarei: Violência! E não salvarás?”

Porém, o que fez o Senhor em certo ponto, indiferente diante ao clamor do profeta Habacuque. Creio que tenha sido o espírito de insatisfação demonstrado claramente nas suas palavras.  Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritarei: Violência! E não salvarás? (Hc-1:2).
“Isaias-55:8 - Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor”.

Os planos de Deus estão acima das expectativas humanas.

1ª - Resposta de Deus as indagações do  profeta:

V-4 -11- Vede entre as nações, e olhai, e maravilhai-vos, e admirai-vos; porque realizo em vossos dias uma obra, que vós não crereis, quando vos for contada.
Diante desta afirmativa, o profeta que já estava indignado, ficou estarrecido com a forma terrível, que o Senhor escolheu para punir o seu povo. E, mais uma vez expressa sua indignação, porém, com muito temor. “Vs-12,- Não és tu desde sempre, ó Senhor meu Deus, meu Santo? Nós não morreremos. Ó Senhor, para juízo opuseste, e tu, ó Rocha, o fundaste para castigar”.

Contudo, o profeta ainda expressa mais uma vez a sua indignação: ( V-13-Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a vexação não podes contemplar; por que, pois, olhas para os que procedem aleivosamente, e te calas quando o ímpio devora aquele que é mais justo do que ele?)

Quando Habacuque pediu a Deus que acabasse com a corrupção em Judá, não esperava que Deus o fizesse de modo tão drástico. Não há dúvida de que o rei Jeoaquim e seus comparsas tinham-se enriquecido por meio da injustiça e da extorsão. Tinham até mesmo escravizado o povo (Jr-22:13,17). Mas, se Judá era mau, os babilônicos eram piores!  

Ao falar assim, o profeta não estava sendo conivente com o erro do seu povo; ao afirma que eles eram mais justos que os seus opressores. É, que o povo de Deus mesmo no erro, ainda podem ser considerados justos diante dos ímpios em suas abominações. Foi assim que Ló, mesmo estando vivendo em Sodoma, totalmente fora dos padrões estabelecidos por Deus. Foi considera justo diante dos abomináveis moradores daquelas terras. (2Pedro-2:6-7- E condenou à subversão as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as à cinzas, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente. E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis).

Precisamos ser  Habacuque nos dias de hoje
Dizem que o tempo é a melhor resposta; e, que ele muda quase tudo. “Quase”. Porque, existem coisas que parece se eternizar. O tempo passa, muitas coisas mudam, outras permanecem, como se o ontem fosse hoje. Engraçado, nós temos um desejo de poder eternizar os bons momentos das nossas vidas. Mas, quando se tratando de coisas ruins, momentos difíceis. O nosso desejo é que eles fossem esquecidos para sempre.

Estamos vivenciando este tempo de insegurança e injustiça; como Habacuque vivenciou em seus dias.  Vivendo em uma nação com leis frouxas nas mãos de uma justiça corrupta. Um povo indolente, que confundem prazer carnal com felicidade. Um povo que não se apercebe que o mal está sobrevindo sobre suas cabeças. Vivendo em um tempo em que, todos os conceitos de moralidade estão corrompidos. A família que já foi os pilares da sociedade, já não mais sustenta os padrões estabelecidos pela palavra de Deus.

Precisamos urgentemente, tomar o exemplo do profeta Habacuque e também, buscar ao Senhor em nossas orações, por este povo corrompido e moralmente depravado. (Ez- 22:30 –E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei).

Você já teve vontade de perguntar a Deus: “Se Ele está controlando tudo, por que o mal vence tantas vezes?”. Se for assim, você se identifica com Habacuque, que entrou num grande debate com Deus. Habacuque, cujo nome significa “lutador”, lutou com Deus sobre questões que continuam relevantes até os dias de hoje.

Pode até parecer que Habacuque estivesse faltando com o temor ao Senhor. Mas Deus não levou em consideração a força das suas expressões, visto que, tratava-se de uma petição em favor do seu povo. Deus sempre procurou e ainda estar procurando homens com o perfil de Habacuque, homens que não buscam ao Senhor por interesse próprio, mas homens que visam em primeiro lugar, o bem estar do seu próximo.

 Habacuque não foi o único que expressou suas indignações e suas queixas diante do Senhor. Orações veementes, sinceras e até mesmo iradas foram proferidas por muitos homens de Deus. Moisés, Gideão, Elias e Jó, entre outros, também questionaram algo que Deus fez e debateram com Ele. Deus escuta com indulgência quando nos queixamos de injustiça. Sempre que a deslealdade da vida nos prega um susto, devemos ter consciência de que Deus se preocupa com essas coisas muito antes de nós. A verdade é que a injustiça nem sequer nos perturbaria se Deus não nos tivesse dado o senso de injustiça. De onde mais poderíamos ter conseguido um conceito do certo e do errado se não fosse da parte de Deus?

“Clama a mim, e reponder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes”. (Jr-33:3).

Deus responde a Habacuque
Por-me-ei na minha torre de vigia, colocar-me-ei sobre a fortaleza e vigiarei para ver o que Deus me dirá e que resposta eu terei à minha queixa.
O Senhor me respondeu e disse:  Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo.
Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará.
Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé. (Hb-2:1-4).

Esta resposta em forma de profecia se cumpriu no tempo do profeta; quando Deus determinou ao rei Nabucodonosor entrar em Jerusalém e em todas as cidades de Judá. (Jr-39:1-18).  No tempo de Habacuque, Deus usou os injustos para punir os “justos”. Em nosso tempo; Deus enviou um Justo para morrer pelos injustos.

Outra coisa que precisamos compreender com relação ao nosso Deus. É, que, a despeito de podermos clamar. Clama a mim, e reponder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes, que não sabes. (Jr-33:3).  Não significa, que Ele irá fazer exatamente como temos em mente, como muitas das vezes planejamos. Mas por certo, irá agir segundo a sua vontade. Por certo, fará o melhor, mesmo que não tenhamos capacidade para compreender. (Lc-18:6-8ª – E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clama a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça).                                        Amém!!!

Postado por Pr. Fábio Scofield em 20/06/2014

quinta-feira, 19 de junho de 2014

A Ignorância mata?



A Ignorância mata?

“Se me perguntar o que é a morte! Respondo-te: a verdadeira morte é a Ignorância. Quantos mortos entre os vivos!” (Pitágoras, 582 – 497, AC)

 “Eis que vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o Senhor, meu Deus, para que assim façais no meio da terra que passais a possuir. Guardai-vos, pois, e cumpri-os, porque isto será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos que, ouvindo todos estes estatutos, dirão: Certamente, este grande povo é gente sábio e inteligente”.(Dt-4:5,6).

Deus sempre desejou que o seu povo, fosse um povo que fizesse a diferença entre as demais nações da terra, em todos os sentidos. Um povo há possuir o Único  Deus verdadeiro, e uma lei justa e santa. Um povo rico e de sabedoria invejável. Refletindo sobre esta exortação de Moisés. Podemos concluir que, a subsistência deste povo, viria, pela sabedoria em cumprir fielmente os estatutos e juízos da lei do Senhor. Caso, contrario, seriam fatalmente destruídos da face da terra. Que certamente, e lamentavelmente foi o grande fracasso deles.

E foi por esta causa que o profeta Oséias, lamentou ver, o seu povo ser destruído. O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. (Os-4:6) (Qualquer pessoa com pouca informação desta data, certamente irá pensar que faltava da parte dos governantes, investimento na área do ensino). Parece correto esta afirmativa; visto que em nosso tempo, não é diferente, pelo menos em nossa terra chamada Brasil. “Porém, seria este, o verdadeiro motivo para a falta de conhecimento daquele povo?”. Por certo que não. Pelo menos, não é deste conhecimento que estamos falando; mas, sim, de conhecer e praticar as leis de Deus; as quais eram constitucionais para nação de Israel. Descumpri-las, não só desmereciam as benções, como também quebravam a aliança com o Senhor. Vindo a seguir toda sorte de infortúnios e desgraças. Tais como: Guerras, enfermidades, fome e pestilências. E, principalmente a morte espiritual. (Os-4:1-5)

 O profeta Oséias viveu em um período em que a nação de Israel resistia à vontade de Deus, cometendo todo tipo de pecado, que o entristecia muito. Mas, o que mais desagradava o Senhor, era o descaso que eles faziam da sua palavra; preferindo as revelações provindas dos falsos profetas e adivinhos, rejeitando assim a palavra de Deus e o seu conhecimento. (Os-4:7-13)

A bíblia diz que, quando muda o sacerdote muda também a lei. (Hb-7:12 ).   A lei efetivamente foi mudada. Porém, a ignorância do povo, não. Temos comprovado em nossos dias, chamo “hoje”, que nada ou quase nada tem mudado desde os dias do profeta Oséias. Temos comprovado nos nossos dias mesmo estando em outra dispensação e gozando de melhores promessas; que em termos de conhecimento da verdade, pouco ou nada mudou; visto a ignorância Bíblica do nosso povo; diz alguns historiadores que, nunca houve um tempo com maior analfabetismo bíblico, como o nosso. Poucos conseguem responder com mansidão, a quem lhes perguntar a razão da vossa esperança. Como diz o apostolo Pedro em 1Pe-3:15. 

O apóstolo Paulo profetizou a Timóteo seu filho na fé, que chegaria tempo difíceis. “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega-a a palavra, insta que seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”. (2Tm-4:1-4)

Esta verdade está comprovada no comportamento dos evangélicos em nossos dias, diante da  rejeição aos cultos de estudo Bíblicos, e a preferência  aos cultos de campanhas de benção, avivamentos, shows gospel e outras novidades; visto que para isso, o nosso povo é bem criativo.  Mas, o que tem me chamado à tensão, não é simplesmente o desinteresse do crente pelo estudo das Escrituras. Mas, sim, a má qualidade destes ensinos. Tenho verificado a composição de algumas grades do ensino teológico ministradas pelos seminários, dentro ou fora das Igrejas; pude entender através delas, o porquê de tanto desinteresse do nosso povo.

(Amados, com todo respeito aos que é devido; porque certamente ainda existem homens idôneos e compromissados com Deus e sua palavra). Mas, é lamentável, o nível de qualidade dos nossos seminários chega ser tão ruim, quanto ruim é o nível do nosso ensino secular. Sei que a comparação pode ser meio esdrúxula, porem, tratando-se de estudo, ainda que o conteúdo seja diferente, quanto diferente são os objetivos. Disse o apostolo Paulo que a dedicação deve ser a mesma. (Rm-12:7 –Se ministério, dediquemo-nos ao ministério; ou o que ensina esmere-se no fazê-lo).



Infelizmente, não é o que temos visto por aí. O que temos visto e ouvido, tem nos preocupado, e muito. Porque não se resume apenas a um povo desinformado da verdade ou desinteressado dela. Mas, o pior é ver que as lideranças não discernem a verdade ou não tem interesse de trazê-la a conhecimento do povo. E por falta do conhecimento o povo perece, disse o profeta Oséias.

Outro agravante também tem paralelo com o tempo do profeta Oséias, disse o Senhor através dele: (Os-4:7 – Quanto mais estes se multiplicaram, tanto mais contra mim pecaram; eu mudarei a sua honra em vergonha). Hoje o povo de confissão cristã evangélica tem tido um crescimento notável; mas, a “multiplicação” tem sido de baixa qualidade, a fé da maioria destes, está fora dos padrões Bíblicos desejados pelo Senhor.

Um povo que pouco lê, se lê mais não estuda, estuda, mais não medita. Portanto, nada, ou quase nada, podem discernir da verdade. Ou, seja, são incapazes de discernir corretamente o que diz as Escrituras. (Hb-5:11-14)
Também, isto não é novo, visto que os discípulos do Senhor Jesus, nos tempos apostólicos, também tinham esta dificuldade de entender os seus sermões, porque não tinha conhecimento das escrituras. Conforme - Mc-4:10-13–Mt-16:21-23 –Jo-14:1-11).
Exemplo disto é o relato dos discípulos no caminho de Emaús.
E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!
Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória?
E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras. (Lc-24:25-27).


Testemunho: Certa feita estava eu conversando com uma irmã em Cristo, uma excelente profissional na área da advocacia trabalhista. Falávamos de muitas coisas, e principalmente, das causas do Senhor; quando de repente; ela fez algumas referencia da sua forma de crer. Dizendo: Lá em casa é assim: quando tem alguém doente, levo logo na igreja “Tal”, onde tem uma campanha de cura e libertação, o pastor faz a oração da fé,  e coloca um “salzinho ungido” na cabeça do doente, e logo fica curado. Mas, quando o assunto é problema com dinheiro ou amarração nos negócios, eu levo na campanha dos Trezentos e Dezoito. Coloco tudo no altar, e a vitória é certa. Mas, o que verdadeiramente me assustou, foi a ultima declaração feito por ela. Ela disse: O que eu acho mais engraçado é que os “espíritos - santinhos” são todos iguais, em todas as igrejas eles falam as mesmas coisas. (Mt-22:29).

Bem, tratando-se de fé, eu achei até razoável o seu proceder.  Visto que milagres podem ser realizados em quase todas as religiões que professam fé espiritualizada. E, é nesse sentido, é que os falsos profetas tem conseguido sucesso no meio deste povo ignorante espiritual. Pois, a ignorância espiritual, independe da formação cultural ou acadêmica de uma pessoa.


A razão da fé de uma pessoa tem que obrigatoriamente passar pelo âmbito do conhecimento. Sem levar em conta qualquer formação acadêmica ou teológica, temos notado que, a fé no âmbito evangélico é muito superficial independente do nível social e cultural de cada pessoa. Em termos Bíblicos, o que prova que uma pessoa é verdadeiramente Cristã, não é quanto ele pode crer, mas, sim, o quanto ele pode discernir de suas verdades. Seja no âmbito histórico, nos atos proféticos e nas questões didáticas; (Leis e Doutrinas), sendo capaz de discernir corretamente os seus significados, através de tipologias, símbolos e figuras de linguagens. 

Temos visto homens de Deus, bem-intencionados com a verdade, porém, cometendo erros graves na hermenêutica de textos; por não levarem em conta as figuras de linguagem inseridas neles. Porém, precisamos levar em conta, que o conhecimento de Deus não se resume em informação ou conhecimento acadêmico, seja ele Teológico ou filosófico; o conhecimento de vem per certo diretamente das Sagradas Escrituras, através do estudo racional, da  meditação devocional e principalmente pela iluminação do Espírito Santo a cada um que vier a se dedicar a Santa palavra. (Dt-29:29 -2Tm-3:16,17).

A voz do profeta Oséias continua ecoando em nossos ouvidos: O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. (Os-4:6)

Postado pelo Pr. Fábio Scofield em 19/06/2014